Dados sobre a acusação de propagação de notícias falsas nos comentários das fanpages de grupos pluripartidários

Inaiara Ferreira e Camilla Gonda

Análises de posts e comentários de partidos políticos são comuns em pesquisas de comunicação política. No entanto, há, também, movimentos pluripartidários, que mobilizam lideranças de todo o Brasil para atuar na política.

Esses movimentos surgem com o intuito de renovar a política, trazendo novos nomes e cursos de preparação. Para Hanna Pitkin (1967), representação é “tornar presente novamente”, e é com essa intenção que, após as crises políticas de 2013, esses movimentos ganharam força.

Com a popularização das redes sociais, muitos desses movimentos surgiram na internet, mobilizando pessoas em torno de seus ideais em sites como o Facebook. Alguns alcançaram grande popularidade, como é o caso do MBL, fundado em 1 de novembro de 2014, que atualmente conta com 3,1 milhões de seguidores em sua fanpage[1] e que defende o liberalismo econômico e o republicanismo.

Neste texto, interessa a relação entre tais organizações e a discussão sobre fake news, um termo que pode ser usado para tratar de informações falsas, mas também para qualificar o que desagrada uma figura política ou uma parcela de determinado público (DOURADO E GOMES, 2019). Nosso objetivo é verificar se, em suas páginas de Facebook, esses grupos pluripartidários são acusados de propagar conteúdos falsos.

Para abordar o assunto, utilizamos dados do CPOP, que coletou, entre julho e outubro de 2018, comentários em postagens feitas por cinco dos principais movimentos nacionais: RenovaBR, RAPS, Acredito, MBL Brasil e Livres. Os movimentos RenovaBR e RAPS trabalham com capacitação política, oferecendo aos líderes preparação e treinamento, já o MBL, Livres e Acredito trabalham com base de associados, ou seja, possuem pessoas com a mesma ideologia em vários lugares do Brasil, são movimentos de ideias.

O movimento mais antigo é a RAPS (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade), fundado em maio de 2012, que conta, em 2020, com 673 líderes e tem aproximadamente 21 mil seguidores no Facebook[2]. O RENOVABr é uma escola de democracia com o programa iniciado em outubro de 2017. Segundo informações do próprio site do movimento, “desde 2018 já são quase 2000 cidadãos formados em todos os estados do Brasil”[3] e com aproximadamente 99 mil seguidores em sua página de Facebook[4].

Já o LIVRES é uma associação civil suprapartidária em defesa do liberalismo. Fundada em 2016, conta com pouco mais de 168 mil seguidores no Facebook[5] e 68 líderes. Por fim, o ACREDITO é um movimento de renovação política, fundado em 2017 e que conta com 59 lideranças cívicas e aproximadamente 58 mil seguidores na sua fanpage[6].

Na tabela 1, abaixo, podemos observar que todos eles, exceto a RAPS, receberam algum comentário dizendo que suas páginas estariam compartilhando fake news:

Tabela 1 – Comentários e acusações nas fanpages dos movimentos

Fonte: autoras (2020).

Read More