Uma comparação entre o engajamento no Facebook e as pesquisas de intenção de voto

Rafael Linhares

Não é de hoje que compreendemos a importância e influência das mídias sociais no pleito eleitoral, seja como uma forma de promoção de candidatos com menor visibilidade pelas mídias tradicionais, ou como estratégia de comunicação direta com seu eleitorado. Como exemplo disso, temos a campanha presidencial estadunidense de 2008, onde destaca-se Barack Obama como um dos expoentes no uso das tecnologias digitais relacionadas à comunicação política (GOMES et al., 2009). Dessa forma, as recentes campanhas eleitorais brasileiras são marcadas pelo uso maciço da internet e, em especial, das mídias socias como ferramenta de propaganda entre os candidatos (BRAGA, CARLOMAGNO, 2018). Seu uso ganha cada vez mais importância, assim diversos estudos passam a ser realizados para mensurar o efeito das redes na opinião pública e com isso ter clareza das estratégias que cada candidato adota durante a campanha.

Dito isso, o presente comentário busca analisar, de forma comparativa, o uso do Facebook pelos candidatos à campanha presidencial de 2018 com as pesquisas de intenção de voto divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) nos dois turnos do pleito eleitoral, separando-os nos seguintes recortes: i) do início das campanhas até a ultima pesquisa IBOPE do primeiro turno; ii) do início das campanhas de segundo turno até o resultado das eleições.

Para isso, foram coletados dados do perfil de cada um dos 13 candidatos referentes aos recortes mencionados anteriormente, sendo o primeiro deles a partir do início oficial das campanhas, 16 de agosto de 2018, até a última pesquisa IBOPE da primeira parte do pleito eleitoral realizada no dia 6 de outubro e o segundo de 8 de outubro, início do segundo turno, até 28 do mesmo mês. A partir daí, são analisadas as informações referentes à última pesquisa IBOPE do primeiro turno, divulgada no dia 6 de outubro de 2018. Nela, o candidato Jair Messias Bolsonaro (PSL) apresenta um total de 41% nas intenções de voto, seguido pelo candidato Fernando Haddad (PT) com 25%, logo o candidato Ciro Gomes (PDT) com 13% e o candidato Geraldo Alckmin (PSDB) com 8% das intenções de voto. Com isso, os candidatos João Amoedo (NOVO), Marina Silva (REDE), Álvaro Dias (PODEMOS), Cabo Daciolo (PATRIOTAS), Henrique Meirelles (PMDB), Guilherme Boulos (PSOL), Eymael (DC), João Goulart Filho (PPL) e Vera Lúcia (PSTU) tiveram, ordenadamente, entre 3% e 0% nas intenções de voto.

Read More