Uma análise dos temas presentes no HGPE de 2018

Renan Colombo

A mais recente campanha para o governo do Paraná, em 2018, foi disputada por nove candidatos e ocorreu, de forma regulamentada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre 16 de agosto e 6 de outubro, com o pleito sendo realizado em 7 de outubro. O Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE) em rádio e televisão aconteceu durante 35 dias, de 31 de agosto a 4 de outubro. Este comentário analisa, a partir de dados coletados pelo grupo de pesquisa em Comunicação Política e Opinião Pública (CPOP), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), as temáticas presentes no HGPE de primeiro turno dos 9 candidatos ao governo do Paraná. O objetivo é identificar a frequência de cada tema no espaço utilizado pelas candidaturas.

Os candidatos, com seus respectivos partidos e coligações, foram: Cida Borghetti (PP, Coligação Paraná Decide); Dr. Rosinha (PT, [sem coligação]); Geonísio Marinho (PRTB, Coligação Unidos pelo Paraná); João Arruda (MDB, Coligação Paraná: Emprego, Educação e Combate à Corrupção); Jorge Bernardi (REDE, Coligação do Bem e da Verdade para Mudar o Paraná); Ogier Buchi (PSL, Coligação Pátria Brasil); Prof. Ivan Bernardo (PSTU, [sem coligação]); Prof. Piva (PSOL, Coligação PSOL-PCB) e Ratinho Junior (PSD, Coligação Paraná Inovador). O pleito foi vencido por este último, em primeiro turno, com 59,99% dos votos (total de 3.210.712 votos).

A veiculação das propagandas para o cargo de governador(a) do Paraná ocorreu às segundas, quartas e sextas-feiras, em dois blocos de 10 minutos cada, nos seguintes horários: entre 7h16 e 7h25, e 12h16 e 12h25, no rádio; e entre 13h16 e 13h25, e 20h46 e 20h55, na televisão. Cada candidato teve 30 inserções em rádio e 30 inserções em televisão, ao longo de 15 dias, distribuídas igualitariamente entre segundas, quartas e sextas-feiras. A distribuição do tempo destinado a cada candidatura foi feita pelo TSE, da seguinte forma: 90% do tempo foi dividido com base no número de representantes dos partidos na Câmara Federal e os 10% restantes, de forma igualitária (TSE, 2016).  No caso específico das eleições de 2018 para o governo do Paraná, a divisão teve a seguinte configuração: Cida Borghetti: 3’20; Ratinho Júnior: 2’30; João Arruda: 1’51; Dr. Rosinha: 1’12; Ogier Buchi: 0’12; Prof. Piva: 0’10; Geonísio Marinho: 0’09; Jorge Bernardi: 0’09; e Prof. Ivan Bernardo: 0’05.

O HGPE “é considerado um recurso de campanha importante por muitos autores, inclusive em países onde não há espaço regulamentado para os partidos”, sobretudo no que tange à exposição realizada em cadeia nacional de televisão (CERVI, 2011, p. 108). Assim, torna-se relevante compreender de que forma foi utilizado pelas candidaturas.

O uso do HGPE pelos candidatos busca, naturalmente, gerar-lhes benefícios eleitorais, o que remete ao conceito de “capital político” de Bourdieu (1989, p. 167-168, grifos do autor), entendido como o “crédito firmado na crença e no reconhecimento ou, mais precisamente, nas inúmeras operações de crédito pelas quais os agentes conferem a uma pessoa – ou a um objeto – os próprios poderes que eles lhes reconhecem”. Nesse sentido, o HGPE pode ser tomado como um “agente” que realiza “operações de crédito” para conferir visibilidade e ampliar o “capital político” dos indivíduos que retrata.

A análise identificou 28 temas presentes, com domínio do item Imagem do candidato, que foi o tema líder nas campanhas de todos os candidatos e que correspondeu a 49,28% do tempo total utilizados por todas as candidaturas somadas, conforme detalha o gráfico 1, abaixo.

Fonte: autor (2020).

Read More